Cuidados gerais com os LEDs

Armazenagem / Manipulação

Temperatura e umidade

- Armazene em locais escuros.
- Não exponha diretamente a luz solar
- A temperatura de armazenamento deverá estar entre -40 a +75C
- A umidade relativa deverá estar entre 5 a 85%
- Durante o transporte ou armazenagem de tempo curto, não ultrapasse temperaturas de 100C

Empilhamento de módulos

- Não empilhe um módulo sobre o outro.
- Mantenha os módulos em suas embalagens originais até o momento de integrá-los nas luminárias.
- Nunca apoie objetos sobre os módulos de LED. Mesmo objetos leves poderão danificar o LED ou a PCI.

Manipulação

- Sempre utilize as bordas da PCI para manipular os módulos de LED.
- Evite o contato dos dedos ou qualquer ferramenta com os LEDs do módulo.
- Utilize luvas e outros componentes ESD.
- Tome muito cuidado para que durante o processo não sejam depositados impurezas (poeira, óleos, etc) sobre os LEDs.

Quedas

- Não deixe o módulo cair.
- Não deixe objetos cairem sobre os módulos.

Caso ocorra quedas do módulo, recomendamos que estes módulos não sejam mais utilizados, mesmo sem sinais visíveis de danos.

Empilhamento e abertura de caixas

- Respeite as recomendações de empilhamento de presentes em cada embalagem.
- Ao empilhar as caixas, mantenha sempre o empilhamento equilibrado para não sobrecarregar as caixas inferiores e não provocar quedas.
- Nunca utilize ferramentas cortantes para abrir caixas ou separar blisters e bandejas.
- Ao retirar os módulos das suas embalagens, considere o tópico “Manipulação”.

Fixação

Furação da luminária ou alterações mecânicas dos módulos

Nunca utilize o módulo de LED como guia para furação da luminária. Os resíduos oriundos ao processo, poderão atingir os LEDs causando danos permanentes ao componente. A Trace possui desenhos mecânicos de todos os seus módulos contendo todos os detalhes sobre os furos de fixação. Também poderemos fornecer arquivos 3D para importação em softwares CAD para correta simulação mecânica dos módulos de LED integrados a luminária.

O mesmo se aplica a alterações mecânicas no módulo, como por exemplo, o aumento no diâmetro dos furos de fixação. Este processo poderá expor o cobre na placa e causar, dentre outros problemas, curtos-circuitos, que além de danificar o módulo, poderão danificar também o LED Driver permanentemente. O mesmo se aplica em alterações nas dimensões dos módulos.

Parafusos e Rebites

Parafusos e rebites representam um dos melhores custos x benefícios, porém exigem alguns cuidados para sua utilização.

Conforme demonstramos na imagem ao lado, alguns módulos possuem uma região sem cobre entorno dos furos de fixação. Desta forma caso o parafuso ou rebite danifique a camada de proteção da PCI, não haverá contato elétrico que possa causar curtos circuitos ou mal funcionamento dos módulos. Porém em módulos cuja dimensão é reduzida, pode não ser possível prever esta área sem cobre, sendo assim, aconselhamos a utilização de um isolante (arruelas plásticas por exemplo) para que não haja contato elétrico entre o módulo e a solução de fixação.

Outro ponto importante, é a ferramenta utilizada para aplicação deste tipo de solução. Durante o aperto de parafusos, a ferramenta utilizada poderá “escapar” da mão do operador atingindo os componentes do módulo de LED. Nos casos do uso de rebites, ao romper a haste do rebite, a ferramenta costuma se deslocar para direções aleatórias, podendo neste momento, atingir componentes do módulo de LED causando danos permanentes.

Fixação por adesivos, colas, silicones e outros componentes químicos

No mercado é possível encontrar diversas soluções para fixação mecânica dos módulos de LED nas luminárias. Porém nem todas estas soluções são compatíveis com a utilização de LEDs. Abaixo descrevemos alguns cuidados necessários para que a solução utilizada não provoque danos aos componentes.

- Composição química: Alguns produtos ao serem aquecidos ou durante a etapa de cura podem exalar gases tóxicos que agridem componentes internos do LED. Estes gases podem causar por exemplo a oxidação dos terminais ou partes metálicas e isso diminuirá a vida útil do componente.
- Transferência térmica: Sempre de preferencia para produtos com características de condução térmica. Apesar de muitos módulos não necessitarem de dissipadores, a utilização da carcaça da luminária como dissipador térmico ajuda a manter a vida útil do produto.
- Aplicação dos produtos: Cuidado para que o produto utilizado na fixação não seja depositado sobre o LED. Como aconselhamos acima, não é recomendado o contato de qualquer objeto com o LED, sendo assim não seria possível limpar o componente e deixá-lo livre de resíduos.

Complementação

Solda de fios e cabos

A Trace poderá lhe fornecer os módulos com fios soldados nas dimensões necessárias para seu projeto. Caso opte por fazer a solda dos fios, utilize estações de solda e não ferros de solda comuns.

Ferros de solda comuns não possuem controle de temperatura. Com isso ao utilizar este tipo de solução, você poderá expor o LED a temperaturas não recomendadas, afetando assim a integridade do componente. Outro ponto importante é que em soldas de módulos de alumínio, estes módulos irão dissipar rapidamente a temperatura do ferro de solda e como não possuem sistemas para regular a temperatura, poderão ocorrer casos de solda fria.

Um ponto muito importante é o decape do fio ou cabo a ser soldado no módulo. O decape nunca poderá ultrapassar o tamanho do PAD no qual o fio ou cabo será soldado. A capa de isolação deverá sempre terminar exatamente onde termina o PAD de solda, assim em caso de torção ou dobra, não haverá contato entre o cobre do fio / cabo e outras regiões do módulo de LED.


Observe que a capa de isolação do fio/cabo não permite o contado do cobre com outras regiões do módulo.


Na imagem acima o capa foi retirada em excesso, ultrapassando o limite do PAD onde o fio/cabo foi soldado.


No caso de haver a dobra do cabo, o cobre poderá entrar em contato com o módulo de LED. Em casos de módulos com placas de alumínio, este contato poderá acarretar em curtos-circuitos, causando danos ao módulo e ao LED Driver.

Complementação

Acionamento dos módulos de LED

Nossos projetos levam em conta a demanda luminotécnica necessária para cada aplicação. Vários dados técnicos são considerados para que nossos projetos atendam as características nominais de operação recomendadas pelos fabricantes dos componentes empregados.

Nunca ultrapasse as recomendações técnicas de tensão e corrente de operação de nossos módulos. Além de reduzir a vida útil da solução, a utilização fora das caraterísticas nominais de operação poderá provacar a queima do produto.

Nossos catálogos e folders possuem as informações necessárias para que você possa utilizar nossos produtos com segurança, mantendo a garantia e vida útil de cada solução.

Como definir a tensão e corrente para acionamento dos módulos de LED?

Vários são os fatores que devem ser considerados para definição do LED Driver adequado. O mais importante deles é conhecer as especificações do módulo de LED utilizado no projeto.

Abaixo descrevemos de forma resumida a  forma de calculo da corrente e tensão da solução. Consulte-nos para validar a associação pretendida.

Ligação Paralela

Corrente = Inom módulo x # módulos

A corrente será igual a corrente nominal do módulo de LEDs, multiplicada pela quantidade de módulos de LED associados.

Tensão = Tensão nominal do módulo de LED

A tensão será equivalente a tensão nominal de um módulo de LED.

Ligação Série

Corrente = Corrente nominal do módulo de LED

A corrente será igual a corrente nominal do módulo de LED utilizado

Tensão = V módulo x # módulos em série

A tensão será igual a tensãon nominal do módulo de LED multiplicada pela quantidade de módulos associados.

Temperatura de Operação

Um dos fatores que afetam diretamente a vida útil do LED, é a temperatura de operação.

Normalmente a maioria dos módulos de LED funcionam adequadamente utilizando o corpo da luminária como dissipador. Porém em alguns casos a adição de dissipadores específicos se faz necessária para que a temperatura de junção do LED permaneça dentro das recomendações do fabricante.

É importante que toda superfície do módulo fique em contato direto com o dissipador (corpo da luminária). Caso alguma região fique descoberta esta poderá aquecer de forma indesejada, fazendo com que os componentes desta região tenham sua vida útil reduzida ou mesmo parem de funcionar prematuramente.

É importante que a região onde o módulo de led será fixado esteja livre de impurezas e se possível não seja coberto por tinta. A presença de impurezas e outros revestimentos podem dificultar a transferência térmica entre o módulo e a luminária.

 

A Trace oferece todo suporte necessário aos nossos clientes para que as condições térmicas de funcionamento dos módulos sejam atendidas. É muito importante que possamos entender em detalhes a aplicação de nossos módulos a fim, de em conjunto com o cliente, definir qual a solução se adequa a aplicação desejada.

Utilização de componentes adicionais para transferência térmica.

Em alguns casos a utilização de auxiliares para transferência térmica entre o módulo de LED e a luminária se faz necessária. Assim como citamos no caso da fixação, existem produtos específicos para utilizar com LEDs. Alguns deles proporcionando fixação mecânica e transferência térmica.

Evite utilizar pastas térmicas de má qualidade. Além de poderem provocar danos ao LEDs (componentes tóxicos), alguns produtos endurecem e perdem suas caraterísticas com o tempo. Isso fará com que a vida útil do seu produto seja comprometida.

Caso utilize alguma solução liquida, cuidado para não depositar material sobre os LEDs. Em caso de cura através de estufas, procure-nos para saber se as condições de cura não afetam os módulos de LED.

Devolução de Produtos

Mantenha as embalagens originais

Conforme demonstramos neste informativo, LEDs são componentes sensíveis.

Nós mantemos controle rigoroso em todas as etapas de fabricação de nossos produtos e também desenvolvemos as embalagens que melhor se adequem a cada tipo de produto.

Aconselhamos que não descarte as embalagens originais dos nossos produtos, até que sua integração nas luminárias seja concluida. Desta forma caso haja a necessidade de devolução de algum produto, este poderá ser enviado em sua embalagem original e assim não ocorrerão danos ao produto que possam comprometer a garantia.

Parafusos e Rebites

Nossas propostas comerciais são acompanhadas do Termo de Garantia.

Nele estão estabelecidos os limites da garantia de qualidade, funcionamento e eficiência de nossos produtos.

Alteração na Temperatura de Cor

Caso note alterações na temperatura de cor, verifique os itens abaixo antes de encaminhar o produto para avaliação da Trace LED Solutions:

 

  • A ligação da solução está de acordo com as especificações tratadas com a Trace? Ligações incorretas poderão submeter os LEDs a correntes acima das especificações do fabricante, comprometendo a integridade dos componentes internos do LED.
  • Verifique se o difusor pode ser o responsável pela alteração da cor. Teste a luminária com e sem o difusor.
  • A térmica do produto está OK? Excesso de temperatura poderá danificar a camada de fósforo do LED, alterando assim sua temperatura de cor.
  • Verifique se houve dano ao módulo durante o processo de montagem da luminária.
  • Verifique se não há a deposição de resíduos sobre os LEDs. (colas, adesivos, silicones, tinta, etc).